A Ford decidiu trocar seu presidente mundial e justificou tal medida pela necessidade de um “olhar renovado”, capaz de recolocar a centenária companhia no caminho do crescimento. O escolhido para esta missão foi Jim Hackett, que liderou a divisão de smart mobility focada em inovações em transporte.
Jim, de 52 anos, acredita que a mudança é fator crítico para a sobrevivência de uma empresa. Pelo seu currículo, tem a experiência e o conhecimento para liderar uma empresa com mais de 100 anos. Dentre seus atributos estão a velocidade na tomada de decisões, a capacidade de reinventar e reenergizar a companhia, implementação de ações duras e medidas de redução de custo.

A palavra-chave nos dias de hoje é mudança. Seja na Ford, como em qualquer outra empresa pequena, média ou grande, ou escritório de advocacia, existe uma crescente e constante necessidade de adaptar os negócios à nova realidade. Novas empresas, novos negócios, novas tecnologias, novas demandas jurídicas, de fato, um novo mundo de possibilidades.

Mas o mundo como conhecemos continua coexistindo com o novo. A mudança é agora. E o desafio de compatibilizar as regras então vigentes com o cenário vindouro não pode turvar ou até mesmo cegar as lideranças organizacionais. A indústria automobilística continua produzindo os veículos “tradicionais”, mas tem plena consciência de que uma revolução, sem precedentes, irá atingi-la violentamente.